segunda-feira, abril 15, 2024
HomeCiênciaPesquisadores querem criar pulmões “doadores universais”

Pesquisadores querem criar pulmões “doadores universais”

Pesquisadores querem criar pulmões

Pesquisadores querem criar pulmões – Em um caso com cúpula de plástico no Instituto de Pesquisa do Hospital Geral de Toronto, os pesquisadores deram a um par de pulmões uma nova identidade. 

Quando os pulmões chegaram ao laboratório, eles eram de alguém com sangue tipo A, o que significa que havia certos marcadores minúsculos, chamados antígenos, ligados ao tecido pulmonar e às células sanguíneas.

Pesquisadores querem criar pulmões
Pesquisadores querem criar pulmões

Mas quando os pulmões saíram do laboratório, esses antígenos desapareceram quase por completo. Em apenas uma hora, os pesquisadores transformaram efetivamente os pulmões no tipo O.

“Isso é absolutamente incrível”, diz Aizhou Zhang, pesquisador do Cypel Lab da Universidade de Toronto e primeiro autor de um artigo publicado esta semana na Science Translational Medicine que descreve a transformação.

Pesquisadores querem criar pulmões com doares universal, será que a ideia pega

O experimento é um passo importante para dar a mais pessoas acesso a transplantes de órgãos que salvam vidas. Mais de 100.000 pessoas nos Estados Unidos estão atualmente esperando por órgãos, mas muitas vezes os mais necessitados não podem obter ajuda devido a um grande problema: seu tipo sanguíneo não corresponde aos órgãos disponíveis.

Zhang trabalha em um laboratório administrado por Marcelo Cypel, principal autor do artigo e cirurgião torácico que passou anos descobrindo maneiras de aumentar o número de pulmões disponíveis para transplantes. 

Uma de suas inovações anteriores foi a criação de perfusão pulmonar ex vivo (EVLP), aquele aparelho de cúpula de plástico no qual os pulmões deste estudo ganharam sua nova identidade.

O dispositivo permite que os médicos alimentem os pulmões doados com nutrientes e oxigênio em um ambiente protegido, o que melhora a viabilidade do transplante.

Órgãos colocados no gelo

Ao contrário dos órgãos que são colocados no gelo após serem colhidos de um doador e depois vão direto para a sala de cirurgia, os pulmões dentro do EVLP aquecem e seu metabolismo é reiniciado antes de serem transplantados. 

Os médicos podem então reavaliar a função dos pulmões e usar o EVLP para administrar medicamentos que melhoram a qualidade do órgão, salvando pulmões levemente danificados que podem ter sido inelegíveis para uso antes. 

“Damos vida ao pulmão nessa máquina”, diz Cypel, que achou que essa tecnologia também poderia ser usada para modificar o órgão, transformando-o em um que pode ser recebido por qualquer pessoa de qualquer tipo sanguíneo.

Existem quatro grupos sanguíneos principais: A, B, O e AB. Pense no tipo O como o modelo básico. Não tem antígenos que se ligam a ele. Os tipos sanguíneos A e B têm antígenos extras que se ligam a esse núcleo, e o sangue AB tem os dois tipos de antígenos.

Pesquisadores querem criar pulmões

Para que um transplante de órgão funcione, o doador e o receptor devem ter tipos sanguíneos compatíveis. Se alguém com sangue tipo O ou B recebe uma doação de alguém com sangue tipo A, por exemplo, esses antígenos A acionarão o sistema imunológico do receptor para atacar o órgão transplantado, que é percebido como um invasor estrangeiro. Esse processo, chamado de rejeição, pode ser mortal.

Mas como o sangue tipo O não tem antígenos, as pessoas com O são consideradas “doadores universais”. Seu sangue e tecido não desencadearão uma resposta imune para receptores de qualquer tipo de sangue.

Aumentar o número de doadores universais, esperava Cypel, tornaria mais pulmões disponíveis para mais pessoas e tornaria o processo mais justo. “Hoje temos uma lista separada de pacientes A, pacientes B, pacientes O, e não necessariamente transplantamos [para] o mais doente”, diz ele. 

E mesmo que um par de pulmões doados corresponda ao tipo sanguíneo da pessoa, eles podem ter o tamanho errado para eles. Muito pequeno e eles não fornecerão oxigênio suficiente. Muito grande e eles não vão caber corretamente no peito.

Veja outros artigos!

Google deveria eliminar de uma vez o Stadia

O hack de virtualização do Android 13 executa o Windows (e o Doom) em uma VM no Android

PC portátil DIY usa teclado mecânico, peças de Game Boy, Raspberry Pi

Os mais recentes fones de ouvido sem fio da Sony têm furos de rosca (de propósito)

Os mais recentes fones de ouvido sem fio da Sony têm furos de rosca (de propósito)

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Most Popular

Recent Comments